VIBRADORES

Comprar vibrador online
Encontre várias opções de vibrador para comprar online na Desejo Oculto. Mais de 14 anos de tradição em vendas pela internet. Compre e receba em casa com embalagem super discreta. Veja modelos de vibrador personal (o clássico), vibrador ponto G, vibrador rotativo (rabbit), vibrador para casal, entre outros.

Com certeza, vibradores são uma das grandes sensações das lojas de sex shop online e não é para menos: também são os responsáveis por incrementar a vida sexual de muita gente e cada vez mais casais estão aderindo ao uso. 

Estamos falando, claro, dos vibradores! Hoje, muitos modelos em vários tamanhos, formatos, cores e texturas estão disponíveis a um clique de distância, mas nem sempre esses sextoys tiveram toda essa variedade!

Para entender melhor essa história, continue lendo e aproveite para conhecer os modelos (e propósitos!) disponíveis na Desejo Oculto.

A história dos vibradores
Se você pensa que os vibradores são invenção atual, está muito enganado (a). O brinquedinho erótico surgiu com um propósito bem diferente do que conhecemos hoje: curar o que os médicos do século 19 chamavam de “histeria”, que, curiosamente, só acometia pacientes do sexo feminino.

Os sintomas como irritabilidade, falta ou excesso de apetite, crises de choro e ansiedade, eram combatidos com massagens pélvicas, realizadas exclusivamente por médicos. Eles estimulavam a vulva das pacientes até que elas atingissem o que chamavam de “paroxismo histérico”, o famoso orgasmo.

O primeiro vibrador foi então desenvolvido, em 1869, para dar uma “mãozinha” aos médicos, já que muitos clínicos apresentavam queixas de LER, a Lesão por Esforço Repetitivo, por conta do alto número de atendimentos. Ou seja, não passava de um instrumento médico, não sendo associado ao prazer e ao sexo propriamente dito.

Com a invenção do vibrador, sendo o primeiro modelo a vapor, o aparelho se popularizou, uma vez que agora as mulheres poderiam buscar “a cura” sozinhas, em casa mesmo. E dá pra acreditar que ele foi comercializado como eletrodoméstico? Naquela época, o “eletro” não ficava escondidinho na mesa e cabeceira, não! Como ele era apenas um instrumento para a promoção da saúde, ele ficava à mostra pela casa sem o menor problema!

Com o passar dos anos, a fabricação foi se modernizando e logo novos modelos chegaram ao mercado. A inovação se restringia ao mecanismo de funcionamento, então, modelos à manivela, eletricidade e ar comprimido eram a tecnologia de ponta disponíveis no momento!

As coisas mudaram quando os vibradores começaram a aparecer nos filmes pornográficos. Como já não se tratava de saúde, mas sim de prazer, o olhar sobre os vibradores mudou, já não sendo mais tão bem aceitos assim às vistas de todos. Ainda bem que a revolução feminina dos anos 60 trouxe de volta o assunto, quebrando tabus e levantando o debate acerca do acessório e do prazer das mulheres!

Os benefícios que o uso de vibradores traz à saúde
Os médicos vitorianos podem até estar errados sobre a histeria feminina, mas é inegável que um bom “paroxismo histérico” tem muitos benefícios para a saúde! E o uso do vibrador é estimulado pelos médicos por diversas razões. Conheça algumas:

Alivia os sintomas da menopausa
A menopausa interfere muito na vida sexual das mulheres. A falta de produção de estrogênio faz com que a libido diminua e o fluxo sanguíneo da região da vulva reduza, causando uma queda na lubrificação vaginal e até mesmo a atrofia dos músculos da região. Isso faz com que muitas mulheres sintam dores no momento do sexo. Como o vibrador estimula a circulação sanguínea, seu uso é muito bem-vindo neste momento da vida.

Fortalece os músculos
Como qualquer músculo do corpo, os presentes na região pélvica também precisam ser estimulados para se manterem firmes e tonificados. O vibrador cumpre essa função com maestria, além de possibilitar que se descubram muitos outros pontos erógenos que você nem imaginava!

Dá firmeza aos tecidos
Você já deve ter ouvido falar em colágeno, certo? Essa proteína é importantíssima para quem quer manter os tecidos sempre firmes, seja do rosto, do pescoço ou… da vagina. Alguns vibradores com calor térmico e vibrações ritmadas ajudam a estimular a produção de colágeno, melhorando a força dos tecidos e fortalecendo o assoalho pélvico, consequentemente melhorando a sensibilidade e a percepção.

Dá um up na vida sexual
Seja para uso solo ou em dupla, o vibrador garante que o sexo saia da rotina! Muitos casais já inseriram o sextoy nas brincadeiras e garantem: você não irá se arrepender! É uma forma de conhecer e explorar o corpo do outro e saber o que dá prazer aos dois. E claro que o relacionamento também sai ganhando com muito mais confiança e cumplicidade.

Conheça alguns dos diferentes tipos de vibradores disponíveis
Agora, vamos ao que interessa: os tipos de vibradores disponíveis no mercado! E são muitos, viu? Dos mais simples aos mais completos, que respondem a estímulos sonoros, por exemplo, o mercado erótico tem desenvolvido brinquedinhos para agradar a todos os públicos, de quem quer apenas descobrir melhor o próprio corpo àqueles que querem compartilhar momentos de prazer.

Conheça os modelos de produtos disponíveis:

Personal
Um clássico é um clássico, não é? Os vibradores personal são os mais conhecidos e vendidos e são excelentes para momentos de prazer independente ou compartilhado. Podem ser usados para massagem corporal, pompoarismo e estímulos das zonas erógenas.

Alguns modelos possuem texturas, formatos dos mais discretos aos mais avantajados e controle de vibração por meio de um botão giratório na base e alguns contam com saliências para estímulo extra ao clitóris.

Ponto G
Com uma curvatura específica para alcançar e massagear o ponto G, muitos modelos também possuem massageador clitoriano, garantindo estímulos e prazer em dobro. O controle, claro, está em suas mãos! Mas, para quem deixar acontecer, alguns vibradores têm mecanismos que adaptam o ritmo de vibração a estímulos sonoros, como músicas ou outros sons.

Rotativo
Com os vibradores rotativos, também conhecidos como rabbits, o prazer não tem limites. Alguns simulam movimentos de vai e vem, têm função rotativa, estímulos exclusivos para o clitóris e, claro, frequência de vibração ajustável. Os movimentos de simulação do sexo vão garantir uma penetração muito mais prazerosa.

Vibradores para Casal
Em todos os modelos de vibradores a diversão pode ser em dupla, mas há uma categoria de produtos pensada justamente para quem quer tornar o sexo em casal muito mais interessante. Com formato em “C”, os vibradores para casal se encaixam perfeitamente na vagina, alcançando o clitóris e ponto G, além de também estimular o pênis durante a penetração.

Estimulador de Clitóris
Não precisa nem dizer quem é a estrela desta seção, não é mesmo? Os estimuladores de clitóris podem ser “vestidos” ou controlados remotamente e garantem orgasmos superintensos! Eles podem ser utilizados também para massagem de outras áreas erógenas e dar aquela incrementada no sexo oral.

Cápsulas & Bullet
Os vibradores bullet são superdiscretos e incríveis para a estimulação clitoriana, anal e vaginal. Mas eles também podem gostar do novo brinquedinho, que pode ser utilizado nas preliminares para massagens e estimular pontos erógenos também nos homens, como o pênis e escroto. Os modelos têm diversas intensidades de vibração que podem ser controladas por controle remoto, com ou sem fio.

Dupla Estimulação
Para quem quer algo a mais que apenas a estimulação do clitóris, que tal um vibrador que também dá aquela atenção ao ponto G? Os vibradores de dupla estimulação massageiam as duas áreas simultaneamente e ainda podem ser usados durante a penetração para orgasmos ainda mais intensos.

Agora que você já conhece os destaques em vibradores, não esqueça que, independentemente do modelo escolhido, uma regra vale para todos: a higienização do produto deve ser feita antes e depois do uso com sabão neutro ou produtos específicos para a limpeza. Esse cuidado vai garantir uma vida útil muito maior para o vibrador e, quanto mais ele durar, mais momentos de prazer intenso você tem!

Tipos de vibrador
Os vibradores dos dias de hoje foram ganhando novas formas, novos tamanhos, novos materiais e também novos públicos. Vamos tentar ajudar você a escolher o seu vibrador.

Não apenas as mulheres podem usar o acessório, mas também os homens, ou ambos.
Hoje já existem pessoas que não abrem mão de ter um vibrador, seja para usar solo ou acompanhado, independente de ter um relacionamento fixo ou não.

Outra grande mudança na história do vibrador foi exatamente essa: ele deixou de ser visto como acessório feito para mulheres independentes. E também era um acessório que não se comentava quando fosse comprar. 

Hoje, mesmo que nem todas falem abertamente, muitas mulheres comentam entre si, especialmente entre amigas quando compram um vibrador. A vergonha foi se perdendo e elas foram comprando para si e seus companheiros ou companheiras também. 
Tanto é verdade que uma das linhas de vibradores que faz grande sucesso nas sex shops são os viradores para casais. Em formato de “U”, motores nas duas extremidades e encaixe na vagina, o aparelho faz vibrar o clitóris, o canal vaginal e o ponto G, e ainda faz massagem no pênis durante a penetração. Quem já experimentou garante que o prazer para o casal é realmente sensacional. 

Conversar com o parceiro ou parceira e convidar a experimentar juntos pode ser uma ótima forma de se aproximar ainda mais e apimentar a relação, trazendo novas formas de prazer.


Vibrador Peridell: fisioterapia e uso terapêutico
A fisioterapeuta e consultora em sexualidade Fabiane Dell´ Antônio é a responsável por idealizar vários produtos para a saúde íntima. É aí que começa a história do vibrador Peridell.

Segundo a especialista, ao estudar os efeitos benéficos da plataforma vibratória para o corpo humano, foi que pensou também nos benefícios que um vibrador poderia trazer aos músculos do períneo e região pélvica, com indicação para o tratamento de incontinência urinária e disfunções sexuais.

A fisioterapeuta relata que comprou cinco vibradores modelo Personal e iniciou o uso em seus pacientes e consigo mesma por cerca de duas semanas. Passado este período, ela identificou melhoras na evolução muscular. 

Ampliando a experiência de uso do vibrador no consultório, a profissional percebeu que o uso do modelo Personal era limitado para os seus objetivos de tratamento, e precisava de um outro aparelho.

Foi depois de um momento de oração e meditação, no entanto, que a fisioterapeuta relata ter surgido a ideia de um vibrador que tivesse ponteiras diferentes, com a possibilidade de substituí-las e utilizá-las em diferentes áreas e locais do corpo. E assim foi inventado o Massageador Terapêutico Peridell, o primeiro desenvolvido pela linha terapêutica Dell e fabricado pela empresa de produtos sensuais Hot Flowers.

Ainda segundo a fisioterapeuta, mais tarde ela mesma desenvolveu uma capa de elastômero exclusiva para o aparelho Peridell, que facilita a penetração do acessório em pessoas que tem dor, desconforto e também alguma dificuldade de penetração vaginal ou anal.

Hoje muitos profissionais estão utilizando o Peridell para fisioterapia nos seus consultórios. O acessório é usado para tratamento de disfunções dos músculos do assoalho pélvico e também em outras áreas corporais. 

Conforme a fisioterapeuta, o uso do Peridell cresceu após outros fisioterapeutas e médicos internacionais divulgarem os efeitos da vibração na saúde sexual de homens e mulheres por meio de pesquisas. No Brasil as pesquisas na área também estão sendo ampliadas e confirmando a contribuição do uso do Peridell na saúde muscular.

O aparelho Peridell, com sua vibração e diferentes ponteiras, contribui para melhorar diversas queixas, que em geral decorrem de patologias ginecológicas, proctológicas e urológicas, e que atingem músculos do assoalho pélvico.

A indicação de utilização do Peridell inclui tratamento de cirurgias pélvicas, como cirurgias para erguer a bexiga, para tratamentos de endometriose e partos, além de radioterapia e quimioterapia, gestação e pós-parto, além de vaginismo, dor e desconforto no ato sexual, vulvodínia, fissuras, hemorróidas, prisão de ventre, incontinência urinária e fecal, e ainda atrofia e estenose vaginal, disfunção erétil, problemas na ejaculação, desejo e orgasmo, diminuição da lubrificação vaginal, entre outras possibilidades.

O Massageador Peridell também melhora a saúde e a força dos músculos íntimos. Da mesma forma, ele aumenta a circulação e inervação local no corpo. Tudo isso contribui para melhorar as estruturas locais e agir nos sintomas e queixas sexuais tanto de homens quanto de mulheres.


Você conhece a história do vibrador feminino? 
A história do vibrador é muito rica, e a maioria das pessoas nem imagina qual é. Também não é muito fácil encontrar alguém que saiba que era possível ter anúncios de vibradores no início do XX. Mas, sim, eles existiam. Além disso, o uso de vibradores era indicado tanto para mulheres como para homens, como uma espécie de massageador que podia ser usado em outras partes do corpo, como peito, rosto, pernas e braços. A ideia era “poupar” o trabalho das mãos.

Essas massagens eram indicadas principalmente, mas não somente, às mulheres. É que o caso delas abrangia um tratamento médico específico para o que, na época, era chamado de “histeria”. Esse tratamento era administrado pelo próprio médico na paciente.

E não foram só diferentes usos, em relação ao imaginário popular de hoje, mas também diferentes formatos que o vibrador teve ao longo do tempo. 

Controvérsias na história do vibrador
Imaginar um médico usar um vibrador em uma mulher com fins terapêuticos lá pelo fim do século XIX, início do XX, pode soar meio estranho, principalmente quando pensamos nos hábitos e pudores da época. E isso também soou estranho para alguns pesquisadores. Por isso, a história tem algumas controvérsias entre quem pesquisa essa história.

Rachel Maines, historiadora responsável pelo livro "A Tecnologia do Orgasmo: 'Histeria, o vibrador e a satisfação sexual feminina’", relata na obra essa história, que traz referência a essa masturbação de pacientes por médicos. Aparentemente ela acreditava que esse tratamento era feito pelos médicos sem que eles soubessem que havia uma resposta sexual, crendo que as massagens apenas tratavam as mulheres dessa histeria - que podia ser definida como qualquer coisa considerada um comportamento fora de padrão para uma mulher.

Mas há outros historiadores que acreditam que Maines tenha interpretado mal os anúncios - neles há mulheres com feições sérias passando o vibrador no rosto - e da mesma forma interpretado mal o uso pelos médicos.

Como já mencionamos, os vibradores daquela época não se pareciam com um pênis como alguns de hoje. Eles realmente tinham um aspecto mais próximo ao de massageadores. Na época eles eram considerados um eletrodoméstico - um dos pioneiros.

Sexualidade, orgasmo e conhecimento médico
O fato é que outros historiadores, como a pesquisadora Halie Lieberman, contestam a versão de que os médicos não possuíam conhecimento sobre a sexualidade das mulheres a ponto de não imaginar o que era um orgasmo, ou sobre o funcionamento do clitóris. Também causou estranhamento entre eles a ideia de médicos fazendo masturbação em pacientes em tempos tão conservadores. 

Aparentemente os vibradores daquela época foram utilizados para tratar diversos problemas, como cólicas menstruais. Então, ao longo do tempo, as mulheres começaram a usar os vibradores em outros pontos do corpo, aí, sim, visando o prazer sexual.

Venda de vibradores era restrita a médicos
Acontece que essa “nova utilidade” descoberta pelas mulheres em casa, onde podiam explorar as demais “possibilidades” do aparelho, não ocorreu tão de imediato, já que inicialmente somente os médicos adquiriam este tipo de aparelho. Somente em torno de 1910 é que ele começou, pouco a pouco, a ser comercializado de forma mais ampla. 

Foi aí que passaram a ser utilizados para massagens para aliviar diversas partes do corpo, poupando o esforço por parte dos massagistas. Naquele tempo, no entanto, os anúncios não falavam, nem nas entrelinhas, sobre prazer sexual. 

De fato, os anúncios de vibradores eram curiosos, principalmente quando comparamos com o que sabemos hoje. Especialmente vistos pela ótica atual. Mas não a ponto de fazer sugestão ao prazer sexual - embora a eficácia para males muito variados fosse proclamada nesses anúncios. Eles aparentemente podiam resolver de insônia a surdez, dor ciática, de garganta, entre outras. E tudo isso sem restrição de idade. 

Os vibradores dos dias atuais
Os médicos da época tentaram o tratamento de diversas doenças através do vibrador e com o passar do tempo, em torno de 1915, os médicos passaram a notar que o vibrador não podia resolver tantos problemas dentre todas as soluções prometidas. Só que os fabricantes, que de certa forma se "empolgaram” e para continuar comercializando os vibradores mudaram a sua estratégia, passando a vender os vibradores como eletrodoméstico para homens e mulheres.

Há registros de anúncios tratando de um aparelho sexual de 1903, um objeto semelhante a um cinto que vibrava e eletricidade. Porém nada era divulgado abertamente, principalmente devido a leis de obscenidade em vigor.

O aparelho vibrador mais próximo do que conhecemos surge em torno dos anos 1950, comercializado nos anos 1960, época da abertura da primeira sex shop do mundo. 

A época também contribuiu, com a revolução sexual em andamento. Assim, essa nova função - ou nem tão nova assim, mas muito menos explícita até então, ganhou força.

Conheça os benefícios do uso de vibradores para a saúde
Os pesquisadores podem até ter errado sobre a histeria feminina. Porém a utilização dos vibradores traz sim diversos benefícios para a saúde, ao ponto de ser estimulada pelos médicos pelos mais diferentes motivos. Conheça alguns deles.

Alivia sintomas da menopausa
Se tem algo que interfere muito na vida sexual das mulheres é a menopausa. Há falta de produção de estrogênio e consequentemente diminuição de libido, assim como redução de fluxo sanguíneo da região da vulva, resultando em queda na lubrificação vaginal e inclusive atrofia dos músculos da região. Tudo isso causa em muitas mulheres dores na hora de fazer sexo. O uso do vibrador faz com que a circulação sanguínea seja estimulada, algo muito bem-vindo para quem sofre com a falta dela.

O vibrador fortalece os músculos
Assim como todos os músculos, os existentes na região pélvica também necessitam de estimulação para seguir firmes e tonificados. Essa função é cumprida pelo vibrador, que além de ser terapêutico, possibilita que os usuários descubram diversos outros pontos erógenos desconhecidos até então, aumentando o prazer e o bem-estar.

Vibração dá firmeza aos tecidos
O colágeno é uma proteína que é importantíssima para a manutenção da firmeza dos tecidos, sejam eles do rosto, do pescoço, ou mesmo da vagina. 
Há modelos de vibradores cujo calor térmico e vibrações ritmadas auxiliam na estimulação da produção de colágeno, repercutindo na melhora da força dos tecidos e no fortalecimento do assoalho pélvico, resultando no aumento da sensibilidade e na percepção local.

Um up na vida sexual
O uso de vibradores, não importa se em uso solo ou em dupla, garante um sexo fora da rotina, com mais brincadeiras e prazer. Diversos casais já são adeptos de sextoys e recomendam como forma de aumentar o prazer a dois, conhecer e explorar o corpo do outro. Tudo isso resulta em uma melhora no relacionamento, que ganha mais confiança e cumplicidade.

Farta variedade de vibradores 
Existe uma farta variedade de vibradores disponível no mercado. Alguns, com funções múltiplas, Dos mais básicos aos mais completos. 
Há os que respondem a estímulos sonoros, brinquedinhos para todos os públicos, desde quem apenas quer descobrir melhor o próprio corpo até os que desejam compartilhar momentos de prazer.

Perguntas e respostas sobre vibradores
A utilização de vibradores pela primeira vez pode gerar muitas dúvidas. Tire algumas delas aqui.

Como surgiu o vibrador?
Já era possível encontrar anúncios sobre vibradores no início do século XX. Mas eles eram bem diferentes, no formato, no uso e no acesso. Por exemplo, no início, apenas os médicos adquiriam vibradores, para uso terapêutico. Eram considerados massageadores, um tipo de eletrodoméstico. Mas o vibrador como conhecemos atualmente surge em torno dos anos 1950, comercializado nos anos 1960, época da abertura da primeira sex shop do mundo.

Quantos tipos de vibradores existem?
Há uma infinidade de tipos de vibradores, ao ponto de não ser possível precisar. 
Aqui na Desejo Oculto dividimos entre Personal ou "clássico"; para o Ponto G; Rotativo ou "rabbit", Vibrador para Casal; Estimulador de Clitóris; Cápsulas & Bullet; e Dupla Estimulação.
Você vai ver que muitos dos vibradores estão em mais de uma categoria, pois eles acabam sendo aproveitados em mais funções.
Os vibradores específicos para atingir o Ponto G costumam ter uma curvatura para simular a curvatura do dedo e alcançar este ponto na parte superior da vagina, a cerca de 3 a 4cm da entrada.
Já os vibradores com estimulador de clitóris cumprem dupla ou até tripla função, estimulando ao mesmo tempo clitóris e vagina, e em alguns modelos incluem a estimulação do ponto G. Em alguns é possível estimular ainda os grandes e pequenos lábios. 
Há modelos como o Butterfly, que pode ser usado como uma calcinha, dedeiras, modelos de estimuladores com sucção, varinhas massageadoras, articulados com parte para estimular o clitóris e ainda estimular mais o canal vaginal e/ou chegar ao Ponto G. 
Também há vibradores discretos, ótimos para levar na bolsa, como o Power Bullet, as cápsulas super discretas, o vibrador batom, que se passa por maquiagem, com vibração na ponta.
E ainda tem os vibradores com ejaculador, que pode acrescentar líquido.
Como você vê, há uma infinidade de modelos e finalidades, que você pode ir descobrindo aos poucos. Adquira e explore o primeiro e vá alimentando sua curiosidade e estimulando seus momentos de prazer acrescentando novidades.

O vibrador só pode ser usado sozinho?
O vibrador é mais do que um acessório para ser usado sozinho. Ele pode, sim, ser usado desta forma, mas é super indicado para uso acompanhado, seja por uma mulher e um homem, dois homens, duas mulheres, ou como você preferir.
Há modelos feitos especialmente para proporcionar prazer simultâneo durante a penetração vaginal e acessórios de diferentes modelos e materiais para ajudar você a ter o máximo prazer solo ou acompanhado. 
Além disso, descobrir pontos de prazer no outro pode ser muito estimulante e aproximar ainda mais.

Quanto maior o vibrador, melhor?
Não necessariamente. Há diferentes tipos de vibradores, de diferentes materiais e formatos e todos podem ser eficientes e responderem muito bem às suas necessidades. Escolha conforme o que você busca explorar, conforme os potenciais, mas não tenha medo de decidir por um pequeno se desejar algo discreto, pois ele pode cumprir muito bem a função. Já se você fizer questão de tamanho, também não tem problema. Veja quais as funções e materiais do modelo e escolha o que mais se adeque às suas vontades. 
Preste atenção na vibração, no material e na descrição do tipo de vibrador.
Há modelos específicos para atingir o Ponto G, estimuladores de clitóris, modelos grandes e pequenos, feitos para serem discretos, mas mantendo a função principal que é oferecer prazer.

Posso ter mais de um vibrador?
Claro que pode! Como você já viu aqui, existe uma gama enorme de vibradores, modelos diferentes que atuam de forma a despertar prazeres variados, como estimuladores de clitóris, para atingir o Ponto G, para usar com a calcinha, modelos pequenos, portáteis, modelos para casais, enfim. Você pode ter um que alcance o Ponto G e tenha um estimulador de clitóris junto, outro para casal e mais um para a bolsa, como o vibrador em forma de batom, por exemplo. Cada um deles pode ser utilizado em diferentes momentos. E podem até mesmo serem usados no mesmo dia, variando as sensações.
Quem tem que decidir quantos vibradores deve ter e em que momento usar, é você! 
Claro que é muito bom se você conversar com o (a) parceiro (a) para escolher um para usarem juntos, por exemplo. Mas uma escolha pessoal também é super indicada, saudável e bem-vinda.
Explore as possibilidades e não tenha medo de fazer descobertas com cada tipo de modelo e função.
Lembre-se de que, para obter prazer, o bem-estar, o relaxamento e o conforto são pontos muito importantes. Escolha aquele - ou aqueles - que oferece o que mais se aproxima do que você deseja sentir. Ouse, descubra, presenteie-se. Você merece!

Vibradores dão choque?
Vibradores que usam pilhas ou baterias tem com voltagem muito baixa, que não causam choques, além de serem revestidos de materiais não condutores. 
Apenas tenha cuidado com a forma como utiliza, não molhe a base e use com cuidado, cuidando com a lubrificação e o relaxamento.
Existem alguns vibradores no mercado que funcionam ligando na rede elétrica 110v ou 220v, e apesar de haver revestimento por materiais não condutores, existe um risco pequeno de haver choque.
Além disso, cuide do seu vibrador, não deixando cair e fazendo a higienização de forma correta antes e depois de usar.

Vibradores podem provocar alergia?
Apesar de não haver relatos de vibradores que possam ter causado alergia, mas alergia é algo que só se descobre que tem quando ela acontece, por isso todos podem estar sujeitos a determinados materiais ou alimentos. Por isso é importante comprar em lojas idôneas, sérias, que observem a procedência dos produtos. 
Muitas pessoas são alérgicas ao látex, mas podem usar silicone, por exemplo. Por isso, fique atento aos materiais e ao que você já sabe que pode causar alergia. No caso de ocorrer uma alergia até então desconhecida, suspenda o uso.

Pode usar lubrificante?
Pode sim e deve usar lubrificantes para maior conforto. Há diferentes tipos disponíveis, com oferta de diferentes sabores e sensações que podem ajudar ainda mais a uma experiência incrível. 
Alguns lubrificantes, no entanto, à base de glicerina, podem reagir com o plástico e alterar o pH, por isso prefira fórmulas à base de água. Na dúvida, entre em contato.

Quanto tempo costuma durar um vibrador?
A durabilidade vai depender muito da qualidade do aparelho e cuidados, pois embora possa durar alguns anos, a forma como usa e cuida, mantém a higienização, e também como guarda, sem deixar cair, pois quedas sempre podem resultar em danos, vai ser determinante. Cuide bem do seu vibrador e ele vai ficar com você por muito tempo.
Não deixe de conferir as instruções de uso e manutenção indicadas pelos fabricantes. Esta é uma forma de fazer com que o seu vibrador dure mais e não deixe você na mão.

Posso usar o vibrador na vagina e no ânus?
Pode, mas tem que redobrar os cuidados com a higienização, em especial as mulheres. Caso não seja feita a higiene entre um uso e outro, o risco é de contaminar o vibrador com bactérias. Então o ideal é manter a higienização correta e usar camisinha para evitar a autocontaminação se for usar nos locais.

O vibrador pode ser emprestado?
Uma coisa é o casal usar, e se realmente for o caso, a camisinha é não só bem-vinda como recomendada. Mas em geral o vibrador é algo íntimo que não deve ser compartilhado. Isso porque assim como no sexo com outra pessoa, ao compartilhar, você corre o risco de contrair doenças e infecções. Ou seja, nada de sair emprestando por aí, cada um com o seu.

Como eu faço para limpar o vibrador depois de usar?
Há higienizadores específicos para a limpeza dos vibradores, mas, caso você não tenha, pode fazer a limpeza com sabão neutro. Nada de álcool ou desinfetantes e abrasivos.
Lembre-se de não molhar o compartimento das pilhas e partes eletrônicas e de lavar antes e depois do uso, secar e guardar dentro de um saco plástico.

Quanto custa um vibrador?
Os preços são bastante variados, pois a qualidade e as funções dos vibradores são bastante diversas também. Há modelos nacionais e importados, de todos os tamanhos e para as mais variadas funções, desde o prazer individual ao de casal e também de uso terapêutico.
Na Desejo Oculto você conta com um site especializado que busca o que há de melhor no mercado, mais recente e mais moderno e também os melhores preços, além de promoções e facilidade de pagamento.

O uso do vibrador pode ser terapêutico?
Sim, o uso do vibrador pode ser sim terapêutico. Pode ser indicado tanto para aumentar o prazer e o bem-estar como para tratamento de diversos incômodos e problemas.
Os músculos da região pélvica, como todos os outros, também necessitam de estimulação para seguir firmes e tonificados. E é aí que entra o vibrador, que além de ser terapêutico, possibilita a descoberta de outros pontos erógenos desconhecidos e que podem aumentar o prazer.
O Vibrador Peridell, por exemplo, foi desenvolvido com ponteiras diferentes, pois sua criadora, a fisioterapeuta Fabiane Dell, viu a que a possibilidade de substituí-las e utilizá-las permite utilizá-las em diferentes áreas e locais do corpo. Mais tarde ela também desenvolveu uma capa de elastômero que facilita a penetração do acessório, desconforto e também alguma dificuldade de penetração vaginal ou anal, e que também pode ser usado em outros vibradores. Muitos profissionais estão utilizando o Peridell para fisioterapia nos seus consultórios. O acessório é usado para tratamento de disfunções dos músculos do assoalho pélvico e também em outras áreas corporais.

Fisioterapia com vibrador
Como mencionamos antes, o vibrador não só pode como já é utilizado por fisioterapeutas para diferentes tratamentos. 
Eles são ótimos para vários tipos de necessidades, sendo o Vibrador Peridell o que apresenta mais opções de uso, pois foi desenvolvido justamente por uma fisioterapeuta que se especializou em sexologia e adaptou os tratamentos para a região pélvica ao uso do vibrador. Ela acrescentou diferentes ponteiras que podem ser trocadas conforme o objetivo e o tipo de tratamento.
É usado para tratar disfunções do assoalho pélvico, para tratar pessoas que sentem dor ou desconforto na hora da relação, e muitos médicos e fisioterapeutas já utilizam esse recurso em seus consultórios com ótimos resultados.