Seja você a grávida ou o parceiro ou parceira dela, trouxemos aqui informações importantes para que vocês tirem o melhor proveito do sexo durante esse período.

Sexo na gravidez é plenamente possível e recomendável (com exceção se houver risco de aborto ou descolamento da placenta; de qualquer forma o ideal é sempre consultar o médico). Traz benefícios para a gestante, para o parceiro ou parceira e para o bebê, que acaba recebendo as boas energias e sentimentos da mãe.

Portanto, é mito que sexo na gravidez prejudica o bebê. A prática sexual não interfere na gestação, ou seja, o contato íntimo da mulher e de seu par não toca, não incomoda ou machuca o bebê.

A recomendação dos médicos especialistas, como ginecologistas e obstetras, é que a mulher mantenha a prática regular durante toda a gestação, mas, claro, respeitando seu organismo e suas vontades — entenda-se, principalmente libido, que geralmente muda a cada fase da gravidez. Você vai conferir a seguir.

Dificuldades de fazer sexo na gravidez podem aparecer, mas o casal pode encontrar posições e outros detalhes para continuar tendo essa intimidade e prazer. Com jeitinho, quando os parceiros querem, sempre dão um jeito. É o que você também vai ver mais abaixo.


Como a libido da mulher varia de acordo com o estágio da gestação

Geralmente o corpo da mulher e o desejo dela (consequentemente o do parceiro) mudam a cada trimestre. E de acordo com esses períodos e mudanças vocês podem se ajustar para continuar a obter os benefícios da atividade sexual.

Primeiro trimestre: há uma baixa no desejo do casal, principalmente provocada pelo receio e insegurança de que a prática do sexo possa prejudicar a gestação ou até causar aborto. Também, por ser o período inicial da gravidez, a mulher ainda está se acostumando às diversas mudanças no corpo, tendo frequentes náuseas e vômitos, e esses fatores também contribuem para a diminuição do desejo. Ainda assim, é bom estar atento aos sinais tanto da grávida quanto do parceiro para que, havendo possibilidade real, sem pressão, de maneira delicada e prazerosa, entreguem-se à prática.

 

Segundo trimestre: passado o período mais crítico de mudanças no corpo e no humor da gestante, e até a aceitação de tais alterações, o desejo sexual geralmente volta ao normal. É também no segundo trimestre que os hormônios costumam ajudar a aumentar o apetite sexual. E como a barriga está em tamanho intermediário, ainda há certo conforto nas posições sexuais (confira-as abaixo).

 

Terceiro trimestre: o desejo continua, mas, agora, pelo tamanho da barriga, o casal pode ter dificuldades para fazer sexo. É que, com o peso maior da barriga, muda o centro de gravidade da mulher, afetando seu equilíbrio. Mas se é difícil, não é impossível, e o casal sempre pode buscar posições mais confortáveis, de maneira calma e tranquila, sem tanto receio de machucar o bebê. O mais importante de tudo é curtir o momento, sempre lembrando do bem-estar que o prazer e a prática como um todo proporcionam aos envolvidos.

 

Posições mais confortáveis para praticar sexo na gravidez

No começo da gravidez, pelo fato de a barriga estar menor, quase não há limitações na prática sexual. Mas à medida que o tamanho e o peso aumentam mais e mais, o casal pode adotar posições mais confortáveis. Vamos conferi-las.

 

De lado: a mulher fica de conchinha e o homem encaixa seu corpo no dela e a penetra por trás. Nessa posição, a mulher fica confortável porque sua barriga fica totalmente suportada pelo colchão (não afetando sua coluna), além de o parceiro ficar livre do contato com a barriga.

 

Por cima: “montada” ou sentada, de frente ou de costas para o parceiro. Além de a barriga não atrapalhar, esse tipo de posição permite que a mulher tenha maior controle dos movimentos e da penetração. A mulher não sofre pressão na barriga. É mais confortável que ela fique apoiada nos joelhos, e não de cócoras.

 

Por trás: a mulher fica na posição de “cachorrinho” e o parceiro, ajoelhado, a penetra por trás. Isso facilita especialmente quando a mulher está com a barriga maior, pois dá mais liberdade de movimentos. Mas a posição não é recomendada para o fim da gravidez, porque o peso da barriga pode sobrecarregar a lombar e também desequilibrar a mulher.

 

Papai e mamãe adaptado: o parceiro fica por cima da mulher, mas com o tronco mais elevado, sem deitar sobre a parceira, assim não solta o peso do corpo em cima dela e não pressiona o útero. Se a barriga estiver bem grande, a mulher pode pôr um travesseiro sob as nádegas para elevar a pelve e conseguir a posição ideal.

 

Reforçando a intimidade do casal com sexo na gravidez

Sabendo dessas informações, fica mais fácil ter a vida sexual em dia, sem riscos para os parceiros e para o bebê, e obtendo os benefícios que a prática proporciona.

Além disso, a mulher deve levar em consideração que está em um momento muito especial de sua vida e, portanto, deve se cuidar, fortalecer sua autoconfiança — e o sexo também é uma forma de conseguir isso, além de combater a tensão e relaxar.

Também é bom lembrar que do terceiro ao sexto mês costuma ser a fase mais gostosa, pois a barriga está em tamanho médio, as mudanças já não assustam mais, a mulher está disposta e com boa autoestima, pois os seios estão mais bonitos, a pele e o cabelo sedosos, viçosos, o que acaba deixando-a mais confiante e tranquila, e ela passa isso para o parceiro. Fase em que mais dá para o casal aproveitar e fortalecer o afeto e a intimidade.

E lembre-se que conversas, massagens e preliminares também podem fazer toda a diferença na vida sexual da grávida e de seu par. Então, continuem cultivando sua relação nessa fase, com sexo e muito amor, e curtam muito. Muito prazer!