Que o sexo, seja ele trivial, mais intenso ou até uma rapidinha, todos sabemos que é tudo de bom.  E sempre cabe também um sexo romântico, coladinho, cadenciado, com boas preliminares.

Mas o sexo sem penetração pode e tem seu lugar de vez em quando na relação. Vale esfregar, roçar, beijar, mordiscar, lamber... e muito mais. É uma possibilidade de diversificar a prática sexual — até para que quando houver a penetração ela seja realmente sentida e mais valorizada.

Pode ser inclusive num momento em que seu par esteja impossibilitado de fazer sexo com penetração. Não é por isso que vocês ficarão sem ter prazer, certo?

Gouinage: conheça mais para explorar

O conceito vem do sexo lésbico, mas hoje todos os tipos de casal podem praticar o sexo sem penetração. Primeiro, que é uma forma de conhecer e curtir muito mais o corpo do outro. Segundo, como já dissemos, é uma forma de diversificar as relações sexuais. Em terceiro lugar, vem a valorização maior das outras práticas e formas, justamente pela variação. Outra vantagem é desenvolver a consciência sobre seu próprio corpo e saber melhor sobre suas possibilidades individuais de prazer.

Parece surpreendente que homens sejam os maiores adeptos atualmente dessa prática — pelo menos é o que se percebe em grupos sobre o assunto nas mídias sociais e nos aplicativos de mensagens. Faz muito sentido, mesmo porque para eles o sexo com penetração sempre teve um grande peso — às vezes soando até como obrigação, muito ligada à ereção. Se considerarmos isso, o homem que adere à prática ganha uma liberdade sexual maior, pois tem ampliadas suas possibilidades, e fica mais tranquilo diante da “obrigação” da penetração, do coito.

Já para as mulheres também representa vantagem pelo fato de elas também se queixarem que os parceiros só querem saber de sexo com penetração. Agora elas têm mais “folga” nesse sentido.

O sexo gouinage é uma forma de homens e mulheres heterossexuais abstrairem mais do sexo focado no pênis, para que descubram outras zonas erógenas do corpo do (a) parceiro (a) e de seu próprio corpo, assim descobrindo novas formas de sexo e prazer! Fortalece a relação do casal, pela variação, pelos toques, pela intensidade, por ser um ritual diferente do tradicional.

O sexo sem penetração não são só as preliminares: o gouinage é todo o ritual de sexo, que serve para excitar o casal, mas também para de fato sentir prazer.

Portanto, engana-se quem pensa que não é possível chegar ao orgasmo com sexo sem penetração.

Aliás, gozar não é necessariamente a mesma coisa que orgasmo, sabia? Enquanto gozar é a ejaculação, o orgasmo é o ápice do prazer e pode ocorrer até sem a ejaculação e com estímulos em outras partes do corpo.

O que pode ser feito no sexo sem penetração

O gouinage não são só preliminares e nem se resume a masturbação: a ideia é ir muito além, explorando todo o corpo do (a) parceiro (a), assim como outros sentidos, e não só o toque/tato. Assim, devem fazer parte: os cheiros, os sons, os sabores e tudo que sua imaginação alcançar. Nesse sentido, é bom preparar o ambiente e pensar a ocasião antes.

Estimule zonas erógenas. Massageie e dê lambidas e mordiscadas na orelha, na nuca, no bumbum, nos mamilos, nos seios, na virilha, no pescoço, nas mãos, nos pés... Alterne os toques fortes e sutis na coluna e nas costas como um todo, provoque com as unhas, com os dedos, massageie. Continue tocando e estimulando com as mãos, com a boca e com o corpo todo na parte interna das coxas e dos braços, o abdômen... Todas essas são partes erógenas e devem ser contempladas nesse tipo de sexo.

Para estimular os sentidos, use géis e óleos para as mãos correrem melhor pelos corpos, para os corpos deslizarem melhor um no outro. Use sabores, aromas e fragrâncias diferentes das utilizadas regularmente. O que mais? Viaje nas escolhas!

Você precisa ativar bem seu olfato para sentir muito mais os aromas, precisa realmente mergulhar seus sentidos, seu paladar, sua respiração e tudo mais.

Dê lambidas, abrace, beije, chupe, morda, acaricie, massageie, roce, aperte, solte, esfregue, relaxe, dance, rebole, provoque... Alterne intensidade e leveza! Vá avançando, tocando a si e no seu par e observando o que e em que áreas mais proporcionam estímulos, sensações e prazer a cada um. Explore antes, sozinho, e durante o sexo tanto seu corpo quanto o do seu par: assim você poderá proporcionar mais prazer a si e ao outro.

Adote posições mais apropriadas para transar sem penetração: um por cima do outro (frente a frente ou não), friccionando os corpos, roçando, sarrando, estimulando seios, braços, pescoço, orelha, bumbum, com muitos beijos e chupões; na posição em que o homem domina o par pelas costas, pode sarrar o pênis no bumbum, e se puser um travesseiro embaixo da mulher, fica livre para estimular também o clitóris; sentados frente a frente, um no colo do outro, se envolvendo com as pernas, para muita intensidade nos corpos colados, para muitos beijos e também estímulos nos seios, nos mamilos e em toda a parte de cima do corpo; a posição de ladinho também é interessante, pois há o contato frontal de um com o traseiro de outro, deixando a parte da frente do dominado livre para explorar; além das mais variadas posições para um oral delicioso e finalizador, especialmente quando os estímulos anteriores não foram suficientes para o orgasmo.

E lembre-se de que tudo deve ser feito sem pressa: o ideal é curtir e sentir cada momento, cada toque e ação, aproveitar tudo e chegar ao ápice da maneira mais tranquila e prazerosa possível.

Acessórios e produtos para fazer sexo sem penetração

Além dos produtos já mencionados para estimular principalmente o tato, o paladar e o olfato, você e seu par também podem utilizar géis lubrificantes, tanto para deslizar as mãos pelo corpo do seu par quanto para masturbação e sarração nele e em si. Assim como os géis do tipo esquenta e esfria, para ter sensações ainda mais intensas nas regiões genitais. Os diferentes tipos de vibradores podem e devem ser utilizados no sexo sem penetração para estimular o clitóris e toda a região vaginal — é possível ter muitas e deliciosas sensações sem mesmo penetrar o acessório, estimulando a parceira na vagina, no bumbum e onde mais a imaginação desejar.

Sexo sem penetração: questão de escolha e liberdade

Vão experimentando, você e seu par, o sexo sem penetração, de maneira livre, tranquila. Assim como o sexo com penetração não deve ser uma obrigação, o gouinage também não deve ser imposto, e sim experimentado, praticado, para saber se vocês dois (e não só um) se satisfazem também com esse tipo de sexo. Lembre-se que intimidade e prazer não necessariamente envolvem penetração. Lembre-se também, acima de tudo, que no gouinage o corpo do seu par é um palco, então capriche na performance, dê um show! Muito prazer!