Menstruação, gravidez, menopausa, problemas hormonais, baixa libido. Em alguma fase da vida da mulher ela pode se deparar com a vagina seca que pode prejudicar sua vida sexual e abalar seu relacionamento. Quando acontece esse tipo de problema é comum que a mulher se sinta mal ou não saiba entender e explicar o que está acontecendo com o próprio corpo. Além disso, o problema pode se agravar quando o parceiro acredita que a secura vaginal é devido à falta de excitação pelo relacionamento, falta de vontade de fazer sexo ou desinteresse pelo companheiro – o que nem sempre é verdade.

O corpo feminino vive em constantes mudanças e com isso fica suscetível a algumas adversidades, como por exemplo, a secura vaginal. Muitas mulheres que sofrem com isso, podem se tornar depressivas, ansiosas e até se sentirem menos femininas devido ao problema. Falar com o parceiro abertamente e procurar um médico para tentar entender o que está acontecendo são os primeiros passos para combater esse dilema.

Esse incômodo que ocorre nas mulheres é uma queixa muito comum, mais do que pensamos. Antes de descobrirmos as causas e como combatê-la, é necessário entender o que é a vagina seca e porque ela não atinge só as mulheres na menopausa ou no puerpério (logo após de ganhar bebê).

A principal razão da vagina seca é a baixa produção do hormônio estrogênio no organismo feminino. Com essa queda do estrogênio a parede vaginal fica mais fina e como resultado, a vagina seca. Quer entender melhor sobre vagina seca? Confira os motivos e veja o que é possível fazer para amenizar esse problema na vida a dois:

Baixo estrogênio

Um dos motivos da insuficiência de estrogênio é a menopausa, que indica o final da vida reprodutiva da mulher. Com a queda e as alterações hormonais, a mulher tende a ficar com menos lubrificação vaginal.

Durante a gravidez e na amamentação também ocorre a diminuição do nosso querido estrogênio, uma vez que nesses períodos aumenta o hormônio chamado prolactina, que está relacionado à produção de leite e ao cuidado com o bebê. A natureza é sábia e, nessa fase, o corpo se transforma para que a mãe esteja dedicada ao filho que acabou de nascer. No entanto, é uma fase passageira e que merece compreensão do casal.

Para contornar esse problema que pode ser momentâneo, a mulher pode investir em lubrificantes para que o sexo fique mais gostoso, podendo ser utilizado da masturbação à penetração.

Uso de remédios

Outro motivo pode ser o uso de medicamentos como antibióticos, remédios para quimioterapia, antidepressivos, acne e até pílula anticoncepcional. Por isso, se você é jovem, não estranhe se você também estiver com a vagina seca!

Emocional

Sentimentos como estresse, ansiedade, cansaço e medo tornam a lubrificação das paredes vaginais insuficientes, bloqueando o processo natural de umidificação da vagina. Preliminares aumentam o fluxo sanguíneo na região genital, ajudando a formar a lubrificação. Portanto, mulheres, peça ao parceiro para investir nas preliminares, nas fantasias e imaginação, pois ir direto para a penetração é dar chance para a secura vaginal aparecer. Quanto mais excitada a mulher estiver, maior a chance de ter uma lubrificação adequada.

Infecções

Mulheres com distúrbios no ovário ou infecções vaginais, que fazem uma higiene íntima excessiva e com sabonete inadequado, que não se hidratam o suficiente ou que não mantem relações sexuais frequentemente, também podem sofrer desse transtorno. Além disso, o consumo excessivo de álcool e do cigarro também são algumas justificativas para o ressecamento vaginal.

Sintomas na secura vaginal

Geralmente a secura vaginal é notada na hora do sexo, tornando a relação complicada e limitando o prazer do casal. A falta de lubrificação torna a entrada do pênis na vagina muito difícil e também afeta o homem. A ausência de lubrificação causa dor durante a penetração, além de poder ser acompanhada de ardor, coceira ou até um leve sangramento. Muitas vezes o casal não sabe o que realmente está acontecendo, gerando conflitos na relação.

Lesões na parede vaginal devido ao atrito também é um indício da falta de umidificação na vagina. Mulheres com o problema de ressecamento também são mais propensas a terem infecções bacterianas e inflamações vaginais – por isso, estar lubrificada, além de trazer mais prazer também vai ajudar a prevenir infecções.

Para melhorar essa condição é sempre válido ter um lubrificante para garantir a satisfação sexual do casal.

Como tratar e prevenir o problema

Antes de buscar qualquer tratamento é necessário procurar a orientação de um ginecologista, ele poderá pedir exames hormonais para saber quais são as causas da sua secura vaginal e qual seria a melhor forma para combater o problema, pois cada organismo reage de uma maneira.

O uso de lubrificantes é uma alternativa, pois ajuda a não sentir dor durante a relação e é uma excelente opção para melhorar o prazer da mulher e do homem. Para isso, é necessário saber qual o tipo melhor se adapta ao seu corpo.   

Para as mulheres na menopausa, o ideal é fazer a reposição hormonal o quanto antes, para evitar a perda do hormônio estrogênio. Terapia de reposição também pode ser uma forma de combater a secura vaginal. Prescrita pelo médico, ela é encontrada na forma de creme, supositório ou anel, sendo inserido na vagina para que o hormônio estrogênio seja liberado diretamente na região e em seguida absorvido na corrente sanguínea, facilitando a lubrificação.

Como prevenir a secura vaginal?

Para prevenir o ressecamento vaginal é indicado fazer a higiene íntima de uma a duas vezes ao dia, de preferência com um sabonete íntimo, como o da Hot Flowers. Evitar calças apertadas que podem irritar a vulva devido ao atrito. Também é recomendado sempre optar por calcinhas de algodão, que deixam a área respirar.

Relaxar ao máximo, livrando a mente de preocupações, e buscar tratamento para amenizar o estresse e a ansiedade do dia-a-dia, além de evitar o uso de tampões e absorventes – internos e externos - por muito tempo, é essencial para a saúde vaginal.

Uma alimentação saudável e equilibrada propicia ao organismo funcionar de forma adequada, podendo regular naturalmente o nível de estrogênio em seu corpo. Alguns alimentos contribuem para isso e até ajudam, como os ricos em fitoestrógenos, que são a soja, grãos, frutas, vegetais e feijão. Beba pelo menos dois litros de água por dia e na medida do possível insira exercícios na sua rotina de vida.

A falta de lubrificação é um problema sério e merece atenção, pois ela tem o papel de proteger o órgão genital feminino, evitando o aparecimento de bactérias, além de ser essencial para que o sexo seja gostoso e livre de dores e incômodos.